Sexta-feira, 17 de Janeiro de 2014 - 11h44

Superior de Tecnologia em Logística

Curso abre diversas áreas de atuação e todas sofrem com a carência de profissionais; mercado é exigente e necessita de qualificação


Colocar os produtos nas mãos dos consumidores dentro do prazo pré-estabelecido. Esta é uma das responsabilidades do profissional de logística, mas ele precisa encarar o desafio da infraestrutura deficiente no Brasil.

Por outro lado, o mercado é bastante promissor. Há oportunidades em diversas áreas e falta qualificação. A boa notícia é que, quem deseja entrar para o setor, já pode optar pelo curso de curta duração e garantir o rápido ingresso na área.

Quem explica as especificidades desta graduação e dá dicas para escolher uma instituição de ensino é o coordenador do curso superior de tecnologia em logística do Unisal, Dr. Humberto Felipe da Silva.


Ligado na Facul - Como está estruturada a graduação tecnológica em logística?

Humberto Felipe da Silva - O curso foi pensado e discutido com representantes de empresas da região para refletir a demanda do mercado local e nacional. O curso é integralizado em dois anos e está estruturado em quatro módulos que oferecem certificações intermediárias. A cada módulo concluído o aluno poderá receber uma certificação intermediária; certificados de Auxiliar de Logística, Assistente de Compras, Assistente de Logística e por fim, ao completar os quarto módulos semestrais, a certificação de Tecnólogo em Logística.

LNF - Quais as principais diferenças entre a graduação tradicional e a graduação tecnológica em logística?

HS - Tecnicamente não há diferença nos cursos superiores, independente da duração. Por questões meramente técnicas e de conteúdo abrangido é que se define a duração de um curso superior. Existem cursos de dois anos, três, quatro, ou mais, mas todos eles oferecem as mesmas vantagens profissionais. Todos permitem que o formando continue seu processo de formação pós-universitária. Portanto, nos dois casos, seja nos cursos de curta duração e nos de longa duração, o aluno pode fazer pós-graduação, seja MBA, mestrado e doutorado ou outro qualquer. No caso específico dos cursos superiores de tecnologia, o que o torna diferente dos demais cursos superiores é o fato de ter um viés mais prático na área de atuação. É só esta a diferença.

LNF - Qual o perfil profissional desta área?

HS - O profissional de logística precisa ter conhecimentos técnicos específicos da área, não apenas da cadeia de fornecimento, mas também ter conhecimentos de tecnologia da informação, habilidades comportamentais e conhecimento de gestão empresarial. Ele precisa entender como as empresas funcionam e de que forma ocorre o processo de produção e distribuição. Ou seja, como a empresa produz e como ela consegue fazer com que o produto chegue até o consumidor. São também necessárias outras características como: capacidade de organização, visão de projeto, responsabilidade, raciocínio rápido, facilidade de coordenação de equipes, habilidade com números, habilidade para resolver situações adversas, paciência, método, habilidade para lidar com as pessoas e agilidade. 

LNF - Quais são as áreas de atuação profissional?

HS - As principais áreas em que o profissional de logística pode atuar são:

  • Logística Empresarial: área da logística que visa prover melhor nível de rentabilidade na distribuição, através de planejamento e controle no fluxo dos produtos;
  • Supply Chain Management: (gerenciamento de cadeia de suprimentos) integração dos processos do negócio até o usuário final;
  • Logística Internacional: analisa as especificidades do comércio internacional e avalia as condições de transportes e distribuição, além de analisar a rentabilidade;
  • Logística e marketing: área que visa enquadrar a logística nas estratégias de marketing;
  • Business Process Redesign: analisa o controle dos riscos e informações dos processos de negócios;
  • Projetos de embalagens: projeção de embalagens seguindo os conceitos da logística;
  • Simulação de operações: explora o uso da Tecnologia da Informação, através de simulações que visam melhorias;
  • Sistema de previsão de demanda: previsão de demanda para auxílio na tomada de decisões logísticas;
  • Desenvolvimento de Softwares de apoio logístico: serviços logísticos baseados em compartilhamento das informações;
  • Assessoria em terceirização: assessoria estratégica na contratação de prestadores de serviços logísticos.


LNF
- Como está o mercado para o profissional tecnólogo em logística?

HS - A logística é uma das áreas que tem experimentado um dos mais expressivos crescimentos no mundo todo. Graças à logística, é possível adquirir um produto e recebê-lo em dois ou três dias após o pagamento, mesmo em cidades mais distantes. É a logística a responsável pela facilidade de importar e exportar produtos dos mais diferentes tipos como uma máquina pesada ou mesmo um bolo para festas ou rosas. No Brasil especificamente, estamos atravessando o que os especialistas chamam de apagão logístico. A infraestrutura viária (estradas, por exemplo) é deficiente. A expansão dos negócios e a infraestrutura deficiente exigem que as empresas invistam maciçamente em logística sob pena de perderem competitividade. Neste ambiente o profissional de logística tornou-se imprescindível, ou seja, sem pessoal competente na área, as empresas não conseguem colocar o produto nas mãos do consumidor na hora em que ele necessita.

LNF - Quais são as principais tendências, as áreas em evidência deste mercado?

HS - Atualmente todas as áreas da logística estão com carência de profissionais de modo que não é possível apontar uma área específica.

LNF - Quais são os maiores desafios desta profissão?

HS - O Brasil precisa urgentemente modernizar suas estradas, promover a recuperação de seus portos e ampliar a infraestrutura aeroportuária, pois as empresas nacionais já há muito estão perdendo competitividade. Não por que elas sejam incompetentes, mas por que é muito caro, difícil e emperrada a infraestrutura para o escoamento da produção, ou seja, levar os produtos ao destino final. Além disso, sofremos com o roubo de cargas e caminhões que ocorrem em número muito elevado quando comparado a outros países, inclusive com outros países da América Latina. Esses são fatores que se tornam grandes desafios para o profissional de logística, afinal cabe a eles buscar formas de compensar as deficiências estruturais do Brasil.

LNF - Quais devem ser os critérios para escolher uma instituição de ensino para a graduação tecnológica?

HS - A escolha de uma instituição de ensino é básica para a formação do aluno. Claro que é possível ter um aluno com formação medíocre em uma escola de alto padrão, como ter um aluno brilhante em uma escola medíocre. Mas a escola influi e muito na formação do estudante. Alguns fatores devem ser levados em conta ao analisar isto, em primeiro lugar, o quadro de professores. A escola deve oferecer professores com qualificação acadêmica. O mínimo que se exige são profissionais com especialização, mas a escola precisa ter também uma boa proporção de professores com mestres e doutores. Algumas pessoas comentam que o título não torna um professor melhor. Ledo engano. Sempre afirmo que um professor muito bom que não tem mestrado ou doutorado se o fizer com certeza ficará excelente. Ou seja, o percentual de docentes com mestrado e doutorado é um indicador de qualidade considerado no mundo inteiro. Outra coisa que precisa ser considerada é a tradição da instituição. Uma instituição com grande tradição e nome ajuda na colocação no mercado. Afinal, os empregadores já conhecem o nível de formação da escola de tradição. Também é preciso levar em consideração o perfil do alunado e dos concluintes. Somente escolas de alto desempenho conseguem ter alunos de alto desempenho e colocar profissionais competentes no mercado. É preciso considerar também a infraestrutura. Biblioteca, áreas de lazer, salas de aula, área de convivência, acesso à internet, entre outros.

LNF - Quais são as características em relação à infraestrutura da instituição de ensino para o curso de Logística?

HS - O curso precisa oferecer um ambiente acolhedor, que incentive os alunos ao estudo e à reflexão crítica. Para isto, contribuem uma biblioteca ampla e com um ótimo acervo, acesso dos alunos à internet, disponibilidade de softwares de simulação e outros específicos, área de estudo fora da sala de aula e da biblioteca. Outro ponto importante para os alunos é a disponibilidade dos professores em ajudar a formação do aluno. Isto ocorre não apenas em sala de aula, mas também fora. O engajamento dos professores é outra característica que os alunos precisam observar. Mas como conhecer estes detalhes? Perguntando para os alunos da escolas que fazem parte da escolha do candidato. E isso hoje é muito fácil, procure pelas redes sociais e comunique-se com os alunos daquela escola. Quando uma escola tem o poder de contribuir competentemente para a formação do aluno eles, são entusiasmados para falar dela.

LNF - Como o jovem pode ingressar no mercado de trabalho ainda durante o curso?

HS - O simples fato de o jovem ingressar no ensino superior, principalmente em áreas de grande carência como a logística, já é uma facilitador para o ingresso no mercado de trabalho. Normalmente a porta de ingresso no mundo do trabalho se dá pelo estágio. Procurar o Centro de Integração Escola-Empresa – CIEE é uma boa opção, pois este órgão sempre oferece oportunidade de estágios em várias áreas. Mas o aluno precisa também ser proativo. Uma vez uma aluna queria muito fazer estágio e me perguntou como fazer para conseguir um. Disse-lhe que conseguir estágio depende de vontade, interesse e empenho do aluno; é preciso observar as organizações à sua volta e avaliar uma que desperte o interesse em estagiar. Depois é só procurar a organização e se oferecer para fazer um estágio sem remuneração. Venda para a organização a sua imagem e mostre para ela o quanto você pode contribuir. No dia seguinte ela contou-me que estava voltando para casa de ônibus quando passou pela escola que estudava. Imediatamente desceu do ônibus entrou na escola e conversou com o diretor. Ela começou o estágio no dia seguinte na área administrativa. Ingressar no mercado de trabalho exige criatividade e competência, seja como estagiário seja como profissional.

LNF - Quais conselhos o senhor daria ao jovem que pretende ingressar nessa área?

HS - A logística é a área do momento, mas exige muito dos profissionais. Tem muita gente querendo trabalhar na área e não consegue. Não consegue por que o mercado precisa de profissionais com muita competência e de alto desempenho. O mercado está pagando muito bem, mas para os profissionais de topo. Quem quiser ser o “fera” precisa escolher um bom curso, em uma boa escola, dedicar-se com afinco (lembrando que o lazer também é muito importante), estudar bastante, “sugar” o que puder dos professores e colegas, ler assuntos de outra área. Brinco com meus alunos que de vez em quando eu leio a revista "Ti-ti-ti", precisamos sempre saber o que as pessoas à nossa volta pensam, mesmo aquelas que não fazem parte de nossa convivência diária. Aprenda a lidar com a diversidade (pessoas diferentes de nós). Aproveite a escola para aprender ou aperfeiçoar sua capacidade para falar em público, como se trajar, se comportar nas organizações, criar network, etc. E faça da escola o local de treinamento, mas treine, treine e treine para ter boa sorte.

[ 4 ] Comentários

Elen Carvalho - 21/03/2012 - 01:32:47
Muito esclarecedora a reportagem!
Lenira Rodrigues - 11/07/2012 - 10:41:06
Muito boa a reportagem, gostaria de ler mais artigos sobre logística.
Lenira Rodrigues - 11/07/2012 - 10:58:22
Olá, meu nome é Lenira tenho 23 anos me formei em 2011 no curso de Superior de Tecnologia em Logística, nunca trabalhei e gostaria muito de começar minha carreira profissional. O problema é que não me sinto preparada ainda para começar, gostaria de aprender mais, me especializar, fazer algo mais no meus estudo, mas aqui em Corumbá MS ONDE moro só tem o curso técnico e graduação na área de Logística. O que você indicaria? Desde já agradeço.
kelly adriano - 04/01/2013 - 09:25:33
Adorei a entrevista, estava com dúvidas sobre o curso, mercado de trabalho e oportunidades uma boa formação é necessário em qualquer área, mas a oportunidade quem faz é você, principalmente quando gosta do que faz...se tinha dúvidas agora não tenho mais.Parabéns!!
+ Papo de Profissional  |  Compartilhar | 
+

Copyright© 2014 | ligadonafacul.com.br | Todos os direitos reservados / All rights reserved.